Alô, Alô Centenário

Publicado em: 01/7/2012

É com grande tristeza e revolta que estamos assistindo a destruição dos bens públicos da nossa cidade e diante de tanto descaso nâo podemos ficar indiferentes e omissos. Um dos muitos exemplos é o degradante estado em que se encontra o Parque da Av. Centenário, um dos locais mais nobres e privilegiados de Salvador. Apesar de inaugurado há tão pouco tempo, a lista do que precisa ser reparado é imensa.

Todo mundo sabe que em qualquer ambiente, se as coisas não forem cuidadas e não tiverem uma manutenção, em pouco tempo o caos está instalado. Salvador é uma cidade bastante deficitária em espaços públicos para recreação das crianças, lazer e convivência saudável, por isso mesmo o que existe precisa ser mantido em ordem para que a população possa usufruí-los. Um direito de todo cidadão que há muito anda esquecido pelo poder público.

No Parque da Av. Centenário, o parque infantil está com os equipamentos destruídos e pondo em risco a segurança das crianças. Balanços quebrados, brinquedos enferrujados, madeiras faltando. As lixeiras na sua grande maioria estão também quebradas, os bancos do jardim faltando várias peças, os jardins sem manutenção e o que vemos é o mato tomando conta dos canteiros onde deveriam existir plantas ornamentais e flores, a varrição só acontece muito de vez em quando e muitas vezes ficamos sem nenhuma segurança para os usuários. Outro dia tive a infeliz idéia de levar minha netinha de quatro anos para passear e brincar no parquinho e fiquei horrorizada com tudo o que constatei, além de ficar bastante assustada pois um rapaz mal encarado, andando de bicicleta, começou a nos rondar insistentemente demonstrando que a qualquer momento iria nos abordar e alguma coisa de ruim poderia acontecer. Perdi totalmente a tranqüilidade e tivemos de sair correndo para não sermos atacadas. Estávamos desprotegidas. Não havia nenhuma guarda no local. Fui obrigada a ir para uma lanchonete próxima que possui um parquinho particular para os clientes.

E por último quero chamar atenção para os banheiros, que além de se encontrarem sempre sujos, sem água e papel, são como celas de uma prisão solitária, escuros, sem ventilação e totalmente fechados.
Gostaria de pedir à Superintendência de Parques e Jardins da Prefeitura Municipal que olhassem pelo Parque da Av. Centenário, consertando o que está fora dos padrões e recuperando o que foi danificado pelo tempo e pelos maus tratos.

Ah! Em tempo! Uma campanha de conscientização da nossa população, através das emissoras de rádio e TV, seria muito bem vinda e de grande benefício para todos os cidadãos que se sentem lesados e desprestigiados na sua própria cidade.

Precisamos aprender que a cidade de Salvador é nossa e que sem a participação de todos na sua manutenção e conservação ficaremos cada vez mais restritos a espaços fechados e sem a oportunidade da saudável convivência com a natureza e com o próximo!

O que aprendemos na UNIPAZ é que uma Cultura de Paz é a busca da construção de uma democracia participativa, é Paz com voz, resgatando a inclusão e os direitos de todos os cidadãos e seres que habitam esse planeta. A corrupção e o descaso dos políticos para com os nossos bens públicos é indigno e como cidadãos da paz precisamos nos empenhar na busca pela ampliação da consciência de todos sobre esses direitos. Escreví este texto para que o grande público possa entendê-lo e tambem se comover com o descaso que Salvador está sendo tratada por essa gestão, e quem sabe reagir de alguma forma.


Sobre Aline:
Facilitadora nos cursos da UNIPAZ Bahia, Aline Pedreira de Menezes traz, além de suas reflexões pessoais sobre como viver o Aqui e o Agora, uma plataforma multimídia de entrevistas de pessoas que contam para a Cultura da Paz e buscam esta mesma vivência.

Leia outros artigos >

UNIPAZ Bahia 2018 - Todos os direitos reservados.